:: Alice no país das Mara(vilha)s ::

"Não peça a Deus para alimentar um faminto se você tem comida em abundância."
Rob Bell

"DEUS diz: EU estou disposto a multiplicar aquilo que vocês tiverem dispostos a repartir. No evangelho, não é possível haver gente nadando em dinheiro e ao mesmo tempo gente passando fome."
Ariovaldo Ramos


"A fé sem obras é morta." 
Tiago 2:26

"Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade."
 I João, 3.17

É uma sexta-feira. O despertador toca às cinco e meia da manhã. Obrigada pelos pais, Alice acorda cedo pra estudar, mesmo sem gostar muito. Antes de sair, escova os dentes e toma um belo café da manhã, com direito a frutas e pães variados, mas sem leite, porque disso ela não gosta. Alice também não gosta do colégio em que estuda e acha que ele fica longe demais da sua casa, mesmo tendo um motorista que a leva e busca todo dia no carro da família.

Meio-dia. Hora de sair do colégio. O motorista já esta a postos para buscar Alice e levá-la para casa, onde um almoço quentinho feito pela diarista a aguarda sobre a mesa. Alice faz seu prato e, enquanto come, reclama com Dona Neusa que a carne está dura e que não gosta de brócolis. Ao fim, deixa metade do prato cheio: Alice geralmente não agüenta a comida toda e, todo dia, o lixo recebe as suas sobras.

Com a barriga cheia, Alice senta em frente ao computador para falar com alguns amigos no MSN e postar alguns scraps no orkut. Cansada, deita no sofá e só acorda às 20h, quando já é hora de se arrumar para o culto jovem de sua igreja. Depois de tomar banho, diante do seu enorme armário, Alice reclama com sua mãe que não tem roupa pra sair. Com tanta demora e sacrifício para se vestir, Alice chega atrasada no culto, ouve metade da pregação e, enquanto a banda toca o último louvor, ela já combina com os amigos da igreja de ver um filme no shopping e lanchar no McDonald’s. Após o programa, novamente de barriga cheia, Alice pega um táxi e só chega em casa de madrugada. No meio de um bocejo e outro, ela tira a maquiagem, escova os dentes e, já deitada em sua cama limpa, perfumada e macia, dorme no meio da oração.

É uma sexta-feira. O despertador toca às cinco e meia da manhã. Obrigada pela vida, Mara acorda cedo pra trabalhar e ajudar a família, mesmo sonhando um dia poder estudar, como as outras pessoas na idade dela fazem. Antes de sair, Mara não escova os dentes, porque sua mãe não tem dinheiro para comprar escova. Mara também não toma café da manhã, mas bebe com prazer meio copo de leite que irá sustentá-la até a hora do almoço. Mara não tem carro, nem escola, nem motorista.

Meio-dia. Mara almoça durante o trabalho, comendo uma quentinha fria de arroz e feijão feita em casa por ela mesma um dia antes. Quando raspa o “prato”, dando fim ao último grão de arroz que iria sobrar, Mara ainda está com fome, mas ela já está acostumada a não ficar com a barriga cheia.

Mara chega em casa só depois das 20h. Seu cansaço não é maior que o ânimo que tem de se arrumar para fazer o programa do dia: ver Globo Repórter na casa de uma amiga, uma das poucas que tem televisão no bairro todo. Apressada, Mara toma banho de balde, porque não tem ducha, nem banheiro. Mara também não tem dificuldade de escolher a roupa que vai usar, porque só tem mesmo uma roupa para sair. O seu armário é uma gaveta. Após o programa, que não teve lanche, Mara volta andando pra “casa” onde mora e, não podendo escovar os dentes, se apressa em dormir em seu colchão duro e velho, para que a sensação de fome só volte a atormentá-la pela manhã. Mas, antes disso, Mara se ajoelha e agradece a Deus pelo dia e pede que nunca falte comida em sua casa.

Alice quer; Mara precisa. Alice sente fome; Mara passa fome...

 É um sábado. O despertador toca às oito horas da manhã. Como resposta à oração de Mara, alguns poucos cristãos atentos à voz de Deus acordam cedo para levar mantimentos, escovas de dente, carinho e amor até a “casa” de Mara, que fica num bairro pobre do RJ. Enquanto isso, Alice continua dormindo: achou o movimento de ação social organizado pela igreja cedo e longe demais. 

Por Fernando Khoury
----------------
OBS: Se você se sentiu tocado por essa reflexão e o seu coração tem vontade de mudar essa realidade, entre no site http://projetoconstruir.org.br e veja como você pode transformar a vida de uma criança que mora tão perto de você.
:: Uma cruz ou um tridente? ::


“Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno.”
I João 5.19

“Vocês pertencem ao pai de vocês, o Diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira.”
João 8.44


Você está num avião. O piloto olha para o painel . Ele sabe que alguma coisa está errada com a aeronave. Ele – e apenas ele – sabe que, em questão de poucas horas, mais cedo ou mais tarde, o avião irá cair. Ele não pode resolver o problema...e nem quer. Ele não está preocupado. Na verdade, ele está feliz, pois sabe para onde quer levar os seus passageiros. E, por isso, abrindo um sorriso, resolve esconder dos tripulantes o trágico destino que os aguarda, anunciando com uma voz calma, simpática e convidativa:

- “Boa noite. Aqui quem fala é o comandante do voo. Comunico a todos que, a partir de agora, o acesso à primeira classe está liberado. Todos podem desfrutrar de todas as bebidas, comidas e facilidades da primeira classe e fazer tudo o que quiser. Agora a liberdade é completa. É uma cortesia. Aproveitem o voo e divirtam-se à vontade”.

É exatamente isso o que o mundo tem feito conosco. O inimigo de nossas almas nos convida, sutilmente, a fazermos o que quiser em nossa viagem pela vida. Ele só não diz que essa falsa liberdade nos aprisionará para sempre. Ele só não diz que o nosso próximo destino é a morte eterna.

O mundo está fora de foco, porque este mundo está sob o poder de um comandante mentiroso e assassino, que nunca esteve com a verdade (I João 5.19 e João 8.44).  Ele cega nossas visões para o que realmente importa. Ele embaça nosso olhar para que não contemplemos a nitidez do lindo plano que Deus tem para nós. Ele tira o nosso foco de Jesus e dos valores do Reino.

E assim, sem perceber, os valores do mundo são impregnados em nossos corações, como sangue-sugas que retiram de nós os nutrientes necessários para uma vida espiritual saudável, e acabam nos deixando doentes, completamente cegos para a nossa verdadeira missão.

Passamos a priorizar o ter, em vez de ser. O receber, em vez de doar. O “eu quero”, em vez do “ele precisa”. Passamos a buscar a felicidade a qualquer custo, mesmo que isso implique passar por cima de valores éticos e morais. Passamos a valorizar o prazer descompromissado e instantâneo em detrimento do amor sincero e eterno. Gastamos nossos dias, meses e anos buscando o acúmulo de riquezas materiais passageiras, mas nunca separamos tempo suficiente para ajuntar tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem.

Louco! Esta noite te pedirão a tua alma. Quem ficará com o que você preparou?” (Lc 12.20)

"Onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”. (Mateus 6.21)

Nós não somos desse mundo, mas estamos nele. Por isso, Jesus sempre nos convida a reajustar nosso foco na cruz. Pois corremos o sério risco de estarmos há tanto tempo com a visão embaçada que nossos olhos já podem ter se acostumado a enxergar de forma distorcida uma cruz onde, na verdade, há um tridente.

Fazemos parte de uma geração perdida que, mesmo tendo tudo, não tem nada. Não tem um caminho para seguir, uma verdade para acreditar e uma vida genuína para viver. O mundo está fora de foco. Falta Jesus nessa geração. Falta Jesus em nosso olhar. Desembaçe sua visão. Reajuste seu foco. Relembre-se da sua missão enquanto ainda é tempo.

Por Fernando Khoury
:: Facebook! ::


Senhoras e senhores do século XXI:
Facebook! 
Não acreditem em tudo que vocês virem no Facebook.
Ele mostra tudo, menos o rosto verdadeiro das pessoas.
As pessoas não estão sempre sorrindo, se divertindo ou viajando para lugares legais.
Elas não estão sempre de bem com a vida. Não estão sempre bonitas e felizes como nas fotos. Elas não “curtem” tudo na vida real.
Elas também têm mau hálito, sonhos não realizados e desilusões na vida, como você!

Por isso, não se preocupe se você ainda não se sente realizado em alguma área da sua vida. Pessoas plenamente realizadas só existem no mundo virtual.
As pessoas mais felizes não são aquelas que possuem tudo, mas as que amam tudo que possuem. Valorize!

Cuidado com os sonhos frustrados: eles podem te colocar pra baixo, te deixar sem esperança.
Não desanime ao dar de cara com portas fechadas. Elas te enganam ao fazer pensar que não há mais saída para sua situação.
Não fique parado: portas foram feitas para serem abertas.
Tente! A porta pode estar apenas encostada, esperando uma atitude sua.
Se estiver trancada? Bata uma vez e espere. Nada? Bata duas vezes. Espere mais um pouco. Tenha paciência!
Se ninguém abrir, limpe suas mãos, erga a cabeça, não desista. Olhe ao seu redor: às vezes a porta está trancada, mas a janela está aberta... e é pela fresta da janela  que entram as mais suaves brisas com perfumes inesquecíveis que mudam pra sempre o ambiente. Persista!
A janela também está fechada? Tenha semancol. Quem aprendeu a amar a si mesmo sempre sabe a hora de parar, de se retirar, de cultivar novos sonhos. Cuide-se!
Nessas horas você descobre que portas fechadas são portas abertas para novos horizontes. 

Você já chegou aos 30 e o seu príncipe encantado não veio cavalgando num cavalo branco?
A mulher da sua vida continua bela e adormecida em sua imaginação?
A pessoa com quem você jurou que ia se casar arruinou tudo nas vésperas do casamento?
O filho tão sonhado que você planejou ter ainda não veio ao mundo e fez brotar lágrimas dos seus olhos?
O emprego que você conseguiu não era o que você esperava?
Parabéns, você não está sozinho! Não foi o primeiro, e nem será o último. Levante a cabeça!

Coragem! Não tenha medo dos confrontos que a vida te impõe.
Erga seus olhos e conte as estrelas do céu. Pois “até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas” (Chaplin).

Cresça! Não olhe para o tamanho da escada que você tem que subir. Suba um degrau de cada vez. Quando você se der conta, já vai estar lá no alto.
Nessa hora, não olhe para trás. Você pode acabar caindo e ter que subir tudo de novo.
Não fique revivendo o passado e se preocupando com o futuro. Mantenha-se no presente,
que é onde a vida acontece. Um passo de cada vez, um dia de cada vez. Calma!

Liberte-se! Aprender com os erros do passado é saudável e aconselhável. Mas o Ministério de Jesus adverte: viver aprisionado ao passado faz a alma adoecer no presente.
Viver preso ao passado não é viver; é existir. Quem vive no passado morreu para o presente. Para viver no hoje, é preciso libertar-se do passado e reconciliar-se com ele.

Chore! As lágrimas têm o incrível poder de lavar a alma.
Elas tiram o cisco que te impede de enxergar o brilho das novas oportunidades que nascem todo dia ao seu redor.
Mas atenção: saiba o momento certo de enxugá-las. Novas oportunidades podem passar despercebidas simplesmente porque sua visão estava embaçada.

Esqueça! Do amor não correspondido. Do namoro que não aconteceu. Ou do namoro que aconteceu, mas não continuou acontecendo. Do noivado que não deu em casamento. Do casamento que, por algum motivo, se desfez e é impossível ser refeito.
Se esqueça das palavras que, como flecha, te feriram. Das ofensas que fizeram sua alma sangrar. Conheça novas pessoas!

Livre-se de tudo que não seja saudável: pessoas que te magoaram, traumas sofridos, planos frustrados.
Se esqueça das decepções.  Elas te deixam com medo de tentar e tiram a esperança de vencer.
Não olhe para as vezes que você caiu. Olhe para as vezes que Deus te levantou mais forte, com mais fé, mais amadurecido. 
Mude o seu olhar! As cicatrizes não são para lembrar da dor que o passado te causou, mas para lembrar da ferida que Deus sarou.

Agradeça! “Traga à sua memória apenas aquilo que te traz esperança” (Lamentações 3.21).
Lembre-se das risadas sem fim. Dos amigos de verdade. Dos fins de tarde na presença de pessoas que você verdadeiramente ama. Não subestime o poder de um abraço, de um sorriso, de um conselho, de um beijo sincero, de um ombro amigo...pois tudo na vida passa, só o amor continua eternamente.

Viaje! Não desista de viver. Não desista de fazer grandes planos.
Não abandone os projetos megalomaníacos que você fez para o futuro.
Não desista de sonhar. Se preciso for, mude os seus sonhos.
A vida sem sonhos é como um céu sem estrelas: escuro e sombrio.

Volte a sonhar! Viver sem sonhar é ser pássaro e não voar.

Cante! Você não virou uma cantora famosa, é verdade. Nem fez sucesso como a Madonna. Mas você ainda pode cantar debaixo do chuveiro. Desafinando ou não, você pode cantar!
Você não virou jogador de futebol. Mas você sonhou, e isso basta.

A empresa faliu, mas o empresário ainda pode se reerguer. Você perdeu alguém e se perdeu, mas ainda pode se achar. O barco afundou, mas você ainda pode nadar. O namoro não deu certo, mas você ainda pode ser feliz com outro alguém. “O primeiro amor passou. O segundo amor passou. Mas o coração continua” (Drummond).

Recomece! O passado mal resolvido é a âncora que impede o seu barco de seguir viagem no mar da vida. É a corrente que aprisiona suas mãos e te impede de escrever uma nova história.
Pare de reviver seu passado, pare de olhar pra trás.
Esqueça da noite escura que passou. Olhe para o sol trazendo o novo dia.
Cada novo respirar é Deus te dizendo: ainda há tempo para recomeçar!

Arrependa-se! Deus conhece o passado que te maltratou. Deus também conhece todos os seus erros, mas Ele não vive apegado ao que passou. Deus se esquece dos seus pecados confessados. Você é que insiste em relembrá-los e perde o presente que é viver por estar aprisionado no passado.

O tempo passou, é verdade. A vida te maltratou, te fez chorar. Mas Deus te diz: “esqueça o que se foi, não viva no passado. Vejam, estou fazendo uma coisa nova! Ela já está surgindo! Vocês não a reconhecem? Até no deserto vou abrir um caminho e riachos no ermo” (Isaías 43.18).

Viva o novo! Coisas novas só acontecem no presente. Nunca no passado, nunca no futuro.

Aproveite! Você acordou com vida hoje? Então alegre-se! Isso siginifica que Deus te deu uma nova chance de fazer as coisas de forma diferente, uma nova oportunidade para sorrir, um novo dia para viver.

Não perca mais tempo! Aprume o corpo. Levante a cabeça. Chegou a hora de começar do zero, como se nada tivesse acontecido. Como se não houvesse mais marcas, lágrimas, decepções. Como se você nunca tivesse sentido dor ou frustração. Como se nunca tivesse sentido culpa. Como se não houvesse rugas em sua face.

Ame! Olhe ao seu redor, perceba os detalhes. Valorize a beleza da paisagem. Ouça o canto dos pássaros. Admire o pôr do sol. Passe mais tempo com as pessoas que você ama. Chore. Sorria. Dance. Tente. Lute. Recolha-se. Converse com seus pais enquanto ainda há tempo. Ajude seu irmão. Não deixe para fazer as pazes no dia seguinte, pois pode ser que ele não chegue. “Busque a Deus enquanto ainda se pode achá-lo” (Isaías 55.6)... Aproveite cada segundo como se fosse o último, porque ele pode realmente ser.

Viver preso ao passado é olhar para a cruz e ainda ver Jesus crucificado. Mas Jesus não está mais pregado lá. Ele ressuscitou. Ele venceu. Libertar-se do passado é olhar para o símbolo da morte e, nele, enxergar a novidade de vida que só Jesus traz. Jesus te salvou!

Acredite! No caminho, na verdade e na vida que é Jesus.
Mas no Facebook...não acredite!


Por Fernando Khoury
(uma releitura bíblica do texto "Filtro Solar")
:: Reflexões de um dia comum ::









“Disse-lhe Jesus: eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. (João 14.6)

“Disse-lhe Jesus: felizes são aqueles que não me viram, mas creram”. (João 20:29)

“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”. (I Coríntios 2.9)


Se você já fez planos e sonhos para um relacionamento, acreditando que ele seria pra sempre...

Se você já fez juras de amor para uma pessoa que acreditava ser o eterno amor da sua vida...

Se você já achou que não conseguiria viver sem o amor de uma pessoa, e hoje você nem a vê mais...


Você aprendeu que o amor é uma planta que pode crescer ou morrer, dependendo do quanto ela seja regada.
----------------------------------------------------


Se você sentiu um dia em seu coração o desejo de ser criança pra sempre...

Se você achou que nunca envelheceria ou que o seu melhor amigo seria sempre o mesmo...

Se você um dia já desejou que os seus pais não morressem nunca...


Você entendeu que o tempo passa e quase tudo nesse mundo é passível de mudança.
----------------------------------------------------

Se você vive a vida como se ela não fosse acabar nunca...

Se você ainda não se deu conta de que as pessoas que você realmente ama estão indo embora desta Terra...

Se você tem como o maior sonho da sua vida conseguir um bom emprego ou ganhar muito dinheiro...


Você ainda não compreendeu o mais importante: a beleza da vida está no caminho, e não na linha de chegada. 

Você ainda não percebeu que o ser-humano é tão frágil quanto uma pena levada pelo vento, a ponto de não ter controle nem mesmo sobre a sua própria vida.

Por isso, olhe ao seu redor, perceba os detalhes. Valorize a beleza da paisagem. Ouça o canto dos pássaros. Admire o pôr do sol. Passe tempo com as pessoas que você ama. Chore. Sorria. Dance. Recolha-se. Converse com seus pais enquanto ainda há tempo. Não deixe para fazer as pazes no dia seguinte, pois pode ser que ele não chegue. Aproveite cada segundo como se fosse o último, porque ele pode realmente ser...

Porém, não se deixe iludir: existem muito mais coisas além do que o seu olho pode ver. A verdadeira vida só começa onde o alcance da sua visão acaba. Porque felizes são aqueles que, mesmo sem ver, acreditam...acreditam no amor, acreditam na mudança, acreditam no caminho.



Por Fernando Khoury
:: Ainda há tempo de marchar ::




Às vezes tenho medo de um dia chegar lá na frente, olhar pra trás, e perceber que deixei de tomar atitudes necessárias por falta de coragem, por receio de me arriscar, por falta de confiança em Deus.

Tenho medo de chegar lá na frente e perceber que a voz de Deus me convidando a fazer algo era mais nítida do que eu supunha ser, mais audível do que eu pensava escutar e muito mais real do que imaginava.

Tenho medo de, um dia, perceber que o mar não se abriu e escravos cativos não foram libertos, porque eu negligenciei a voz de Deus...por simplesmente me faltarem forças para marchar, por pura falta de fé para estender a minha mão sobre o imenso mar.

Tenho medo de, lá na frente, perceber que a minha família não se salvou das muitas águas do dilúvio que acabaram com a vida na terra, porque eu fui teimoso em não construir a arca...porque, diferente de Noé, não fiz tudo conforme o Senhor me ordenou (Gn 7.5).

Tenho medo de não conseguir ver o arco-íris da aliança de Deus surgir soberano depois da tempestade, porque eu mesmo sucumbi ao dilúvio.

Tenho medo de não conseguir entrar na terra tão sonhada e prometida, porque a minha falta de fé e a minha ingratidão me fizeram perambular sem destino por quarenta anos no deserto.

Tenho medo de que uma multidão de ovelhas famintas e sem pastor continue passando fome e seguindo sem direção, porque eu julguei ser pouco os cinco pães e dois peixes que Deus me deu e, por isso, por eles não agradeci, a eles não abençoei, e sequer os reparti...porque, diferente de Jesus, eu não me enchi de compaixão dos necessitados.

Tenho medo de que a “bíblia” que Deus está escrevendo através da minha vida não contenha relato de milagres. Tenho medo de que meu nome não faça parte da galeria da fé que começou a ser escrita em Hebreus. Tenho medo de ter que ver para poder crer, em vez de crer para poder ver.

Tenho medo de ser divinamente avisado de coisas que ainda não se veem, mas de estar tapando propositalmente os ouvidos do meu coração para não ouvir a voz de Deus. Tenho medo de escutar, mas não querer ouvir. Tenho medo de ver, e não conseguir enxergar.

Tenho medo, muito medo, de ao final da vida, perceber que eu fiz muito e, ainda assim, fiz muito pouco, sentindo um vazio e uma culpa sem fim porque não fiz o que Deus realmente queria que eu tivesse feito.

Tenho medo de ser um servo bom e fiel, mas ser também, muitas vezes, um servo negligente, medroso, omisso e sem fé...porque, sem fé, é impossível agradar a Deus.

Tenho medo de que eu e você sejamos tocados por Deus ao ler esse texto e, segundos depois, ignoremos mais uma vez o que Deus está nos falando. Tenho medo de que eu e você continuemos carregando a mesma culpa e o mesmo vazio por continuarmos não fazendo hoje aquilo que Deus já nos pediu há tanto tempo.

Tenho medo, mas não tenho mais que ter! O tempo passou, é verdade. Eu não fiz, você não fez...mas ainda podemos fazer! Enquanto houver vida, haverá tempo de mudar; ainda haverá tempo de agradar a Deus através da nossa fé. Ressuscitemos a fé que um dia morreu. Marchemos! 


Por Fernando Khoury

"No amor não há medo, pelo contrário, o perfeito amor lança fora todo o medo."1 João 4.18
"Não tenham medo. Fiquem firmes e vejam o livramento que o Senhor lhes trará hoje [...]. O Senhor lutará por vocês; tão-somente acalmem-se. Disse então o Senhor a Moisés: Por que você está clamando a mim? Diga ao povo que marche.”
Êxodo 14.13-15

“Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.”
Tiago 2.26

Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.
Hebreus 11.6

  • Ocorreu um erro neste gadget

    :: NEWSLETTER ::

    Cadastre seu email e fique atualizado sobre novas postagens:

    É grátis!

    :: SEGUIDORES ::

    :: ÚLTIMAS ::

    FAÇA SUA PARTE!

    diHITT