:: Viagem no Tempo ::
Se eu tivesse o controle das coisas
E o domínio de tudo em minhas mãos,
Eu voltaria no tempo e ficaria lá, pra sempre.

Voltaria para o tempo em que nasci...
Só para contemplar a alegria dos meus pais.
Só pra lembrar o que é ter inocência de alma.
Só pra saber o que é chorar sem ter motivo.

Voltaria para o tempo em que tudo era mais calmo,
Em que as pessoas eram menos ocupadas;
Em que os pais viam seus filhos crescer;
E os filhos passavam mais tempo com seus pais do que com a televisão.

Tempo em que marido e mulher sabiam construir uma família; em que as crianças tinham infância: jogavam bola, e não bala; carregavam bonecas, e não bebês.

Tempo em que a violência era roubar um pedaço de pão; em que as pessoas só morriam por causas naturais.

Tempo em que havia educação; em que ser honesto não era virtude, mas obrigação.

Tempo em que não havia soluções para problemas que não existiam; tempo em que não havia tecnologia.

Sim, prefiro as coisas simples, porque é na simplicidade que reside o amor.

Se eu tivesse o controle das coisas
E o domínio de tudo em minhas mãos, eu voltaria no tempo e ficaria lá, pra sempre
Nesse lugar que só existe na utopia da minha mente,
Nesse tempo que não volta mais.

(por Fernando Khoury)
:: Depois do Vazio ::
Eu já olhei pro céu e não vi o sol
Já me senti só no meio da multidão
E passei frio dentro de um vulcão

Já ouvi, e não escutei
Olhei, e não enxerguei
Senti um vazio que não acabava

Quantas noites eu deitei sem saber o que fazer?
Quantas lágrimas chorei sem ter nada pra dizer?
Quantas vezes eu corri, pra depois ter que voltar?
Quantos amigos já perdi por ter falado sem pensar?

Mas quando o dia era escuro,
você foi paz para o meu susto
E minha luz

Quando eu estava cego,
Era você quem estava perto
Pra me dar a mão

Enquanto estive no deserto,
Senti seus olhos sempre abertos 
A cuidar de mim

Quando a madrugada era longa e parecia não ter fim,
Você veio me dar a certeza
Que não importa o que aconteça
Eu sei pra onde vou

Eu vou pra um lugar onde não há lágrima
Onde não há morte, nem pranto
E ninguém saberá o que é ficar triste ou sentir dor...
Eu vou morar ao lado de Deus. (Apocalipse 21:4)

 
(Autor: Fernando Khoury)
:: Ponto Final ::
Ver dois caminhos e não saber qual vou seguir
Ter duas portas e não saber qual devo abrir
Virar à direita ou à virar à esquerda?
Seguir em frente ou voltar atrás?

Nas minhas mãos está a decisão
Um ponto final a essa interrogação
Mas minhas mãos, afinal, onde estão?
Elas apontam em qual direção?

Apontam pro céu?
Apontam pra terra?
Apontam pro nada?
Desistiram de apontar?

No meu coração está a decisão
Um ponto final a essa interrogação
Mas onde está, afinal, meu coração?

Meu coração está nos dois caminhos
E nas duas portas
Está na direita, na esquerda
Está na frente e atrás

O meu coração está na minha decisão, seja ela qual for
O meu coração está, enfim,
Nas minhas mãos.

Porque assim como eu faço minhas escolhas
As minhas escolhas também me fazem
Ser quem sou

(Autor: Fernando Khoury)
  • Ocorreu um erro neste gadget

    :: NEWSLETTER ::

    Cadastre seu email e fique atualizado sobre novas postagens:

    É grátis!

    :: SEGUIDORES ::

    :: ÚLTIMAS ::

    FAÇA SUA PARTE!

    diHITT