:: Os cristãos, os seres-humanos e os cachorros ::

Quanto mais conheço os cristãos, mais eu gosto dos seres-humanos.
Quanto mais conheço os seres-humanos, mais eu gosto do meu cachorro.

Se você é um cachorro mutante que aprendeu a ler, você certamente adorou essa frase!

Se você é um desses seres-humanos que amam cachorros e fazem de tudo por eles, você gostou mais dessa frase do que o seu próprio cachorro!

Se você é um ser-humano indiferente com cachorros, você provavelmente achou um absurdo um sujeito metido a escritor colocar pessoas num nível abaixo de um animal quadrúpede.

Agora, se você é cristão... imagino que a frase acima tenha causado em você um misto de surpresa, indignação e revolta. Mas a sua agitação tem razão. Afinal, como alguém ousa dizer que os cristãos não são sequer seres-humanos? E pior: são inferiores aos cachorros!

Calma. Não fique chateado comigo! Meu objetivo com essa rude frase foi apenas usar de uma estratégia estapafúrdia para te causar espanto e, assim, te chamar à reflexão. Logicamente, esta frase não é uma regra universal válida para todos os cristãos...nem para todos os seres-humanos...nem para todos os cachorros. Isso vale só para alguns poucos representantes dessas três categorias.

Pense comigo e veja se não é verdade.

Existem cachorros que têm atitudes muito mais humanas do que alguns seres-humanos: amam, são amigos fiéis, cuidam, dão carinho. Alguns, inclusive, são especialistas em salvar vidas, como o São Bernardo. Outros são especialistas em ajudar a viver, como os cães-guia de pessoas cegas.

Faça uma breve retrospectiva de sua vida: quantos acidentes de carro você já avistou sem sequer parar para resgatar e socorrer as pessoas acidentadas? Quantas pessoas com problemas de visão você já avistou se esforçando para atravessar a rua, sem sequer ajudá-las a passar pelo sinal? Está vendo? Por esse ponto de vista, existem cachorros melhores – bem melhores – do que seres-humanos.

É verdade que não são todos os cachorros que são assim. De fato, existem alguns cães que mordem, perseguem, maltratam e chegam até a matar uma pessoa. Com certeza você já ouviu falar, em algum momento, de uma criança vitimada pelo ataque de um Pitbull. A boa notícia é que, por esse ângulo, existem seres-humanos que estão em nível bem mais elevado do que alguns cachorros.

Da mesma forma, existem seres-humanos que possuem atitudes muito mais cristãs do que alguns cristãos: amam o próximo como a si mesmo, são honestos e íntegros nos seus negócios, são fiéis aos seus cônjuges, dão pão a quem tem fome... Enfim, são pessoas que sequer são seguidoras de Jesus Cristo, mas cujo comportamento honra e reflete mais a Cristo do que a conduta dos próprios cristãos.

Pense, por exemplo, em Gandhi. Esse homem – mesmo não sendo cristão – talvez tenha sido um dos seres-humanos que mais viveu a mensagem de Jesus Cristo. Líder espiritual, pacifista indiano e advogado, Gandhi foi o precursor da utilização da não-violência, da resistência passiva e da desobediência civil, utilizando a paz como estratégia de guerra para obrigar a Inglaterra a conceder a independência à Índia. Gandhi, muito mais do que a maioria dos cristãos, entendeu a principal mensagem do Cristianismo: o amor. Desta forma, por suas palavras e atitudes, ganhou a admiração e o respeito de ícones como Churchill, Einstein e Martin Luther King.

Contudo, também é verdade que não são todos os seres-humanos que são assim. Com efeito, existem seres-humanos que agem como os piores dos cachorros, mordendo, perseguindo, maltratando e matando outras pessoas. A má notícia é que são raros os cristãos que agem de forma diferente do que o pior dos cachorros ou o pior dos seres-humanos.

Na minha curta caminhada, já vi cachorros melhores do que seres-humanos e melhores do que cristãos. Também já vi seres-humanos cujas atitudes deixam qualquer cristão no chinelo, mas são piores do que cachorros. Vi cachorros mais cruéis do que seres-humanos, mas mais dóceis do que cristãos. Já vi cristãos que são verdadeiros cachorros, no pior sentido possível da palavra. E já vi cristãos – muitos cristãos – piores do que ambos. Sim, foram poucas as vezes que vi cristãos mais amáveis, mais amigos, mais fiéis e mais humanos do que cachorros e seres-humanos.

Não estou dizendo, com isso, que os cristãos devam ser perfeitos. Pelo contrário. Todos nós somos pecadores. O que tento dizer é que os cristãos devem buscar, a cada dia, a perfeição. Devem ter o desejo ardente de, a cada dia, se tornarem um pouco mais parecidos com Jesus Cristo. A impressão que me dá é a de que são poucos – muito poucos – os cristãos que ainda se entristecem quando entristecem o Espírito Santo, que ainda se envergonham quando envergonham o evangelho e que ainda não banalizaram o perdão e a graça de Deus. A esses poucos cristãos em extinção, rendo minha sincera admiração.

Como cristão que sou, falo isso com tristeza. Acontecem coisas dentro da igreja que até o mundo duvida. Logo nós, que deveríamos ser o espelho de Jesus Cristo aqui na Terra, embaçamos sua imagem com a sujeira de nossos pecados, fofocas, intrigas e brigas internas. Logo nós, que deveríamos refletir a luz de Cristo na escuridão do mundo, roubamos, matamos e destruímos, fazendo as trevas zombar de uma luz que mais anuvia do que ilumina. Roubamos a paz do próximo com o modo como agimos; matamos a alma das pessoas com as palavras que proferimos; destruímos o caminho, a verdade e a vida que deveríamos levar aos perdidos. Com muitas de nossas atitudes, usamos o nome de Deus em vão.

Com mais tristeza ainda, me lembro da resposta dada por Gandhi ao ser perguntado por que razão, mesmo sendo simpatizante do Cristianismo, havia rejeitado se tornar seguidor de Jesus Cristo. Sem titubear, Gandhi disse: "Eu gosto de Cristo... Eu não gosto é de seus seguidores. Seus cristãos são tão diferentes de seu Cristo".

Jesus está vendo o que os seus seguidores estão fazendo da mensagem que Ele deixou. Nós nos dizemos, com orgulho, seguidores de Jesus Cristo. Mas temo que Jesus não nos reconheça como seus reais seguidores. Eu temo que alguns cachorros pareçam mais com Jesus do que nós. Eu temo que alguns seres-humanos – mesmo sem conhecerem a Cristo – pareçam mais com Jesus do que nós.

Eu temo que a mesma boca que exalta a Deus seja usada para agredir e diminuir o próximo. Eu temo que a mesma mão que serve a Deus sirva para esbofetear o rosto do próximo. Eu temo que a luz que deveria iluminar o mundo esteja sendo ofuscada pelo legalismo hipócrita, pelo egoísmo dissimulado e pela santidade fingida e imunda de grande parte dos cristãos.

Quanto mais conheço os cristãos, mais eu me conheço. Quanto mais me conheço, mais eu amo Jesus Cristo. E quanto mais eu amo Jesus Cristo, mais aprendo a amar os cristãos, sejam eles cachorros ou não; sejam eles seres-humanos ou não. E é porque sinto esse amor que faço essa crítica em forma de texto. Porque se o amor de Cristo não causar transformação e novidade de vida em nós, é bem provável que alguns de nós se autodenominem cristãos sem nunca terem conhecido o verdadeiro Jesus Cristo.


Por Fernando Khoury

--------------------------------------


Jesus continuou: Ninguém acende uma lamparina para pôr num lugar escondido ou debaixo de um cesto. Ao contrário, ela é colocada no lugar próprio, para que os que entrarem na casa possam enxergar tudo bem. Os olhos são como uma luz para o corpo: quando os olhos de você são bons, todo o seu corpo fica cheio de luz. Porém, se os seus olhos forem maus, o seu corpo ficará cheio de escuridão. Portanto, tenha cuidado para que a luz que está em você não seja escuridão. Pois, se o seu corpo estiver completamente luminoso, e nenhuma parte estiver escura, então ele ficará todo cheio de luz como acontece quando você é iluminado pelo brilho de uma lamparina.” – Lucas 11.33

E não façam com que o Espírito Santo de Deus fique triste. Pois o Espírito é a marca de propriedade de Deus colocada em vocês, a qual é a garantia de que chegará o dia em que Deus os libertará.” – Efésios 4.30


“O ladrão só vem para roubar, matar e destruir; mas eu vim para que as ovelhas tenham vida, a vida completa.” – João 10.10
Marcadores: | edit post
Reações: 
11 Responses
  1. Silene Says:

    Fe...fico impressionada com a facilidade que vc tem de transformar as angustias e inquietações em palavras.
    Que Deus use suas palavras para nos levar a refletir e a ser, a cada dia, fieis seguidores de Cristo, não só de palavra, mas com o Espírito e a Verdade!!
    Parabéns!!


  2. Filipe Bento Says:

    Fala Fê!
    Pra deixar bem explicadinho temos que colocar alguns pontos:
    1 - A principal diferença entre cristãos genuínos e não-cristãos (ou falsos cristãos, cristãos nominais, cristãos carnais, etc..) sabendo que por obras ninguém se salva, é que aos primeiros a glória pelas obras é dada á Deus. Sendo que o segundo grupo, não o glorifica por não ter fé em Cristo.
    "para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." Mat 5.16
    2 - Nem todos que professam ser cristãos entrarão no Reino de Deus. Uma vez que que só entra quem faz a vontade do Pai e essa por sua vez é necessariamente precedida pela fé.
    "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus." Mat 7.21
    3 - Também amo os cachorros =)

    Abraços,

    Filipe Bento
    http://discutindoabiblia.blogspot.com


  3. Antes de tudo, obrigado pelos comentários e leituras.

    Só um esclarecimento: a premissa do texto é que até mesmo os "cristãos genuínos" (se é que posso chamá-los assim) podem produzir obras más, pois todos nós somos pecadores e, portanto, passíveis de falhas. O texto não se propõe a classificar os cristãos em genúinos e falsos. Prefiro dividir os cristãos entre os que cometem poucas falhas e muitas falhas. entre os que se preocupam em entristecer ao Espírito Santo e os que já se esqueceram que sentimento é esse. Por isso, esta reflexão é dirigida a todos nós, cristãos, independente de qualquer classificação.

    Beijos.


  4. Filipe Bento Says:

    Vale uma tréplica? ihihi
    Assim o blog fica mais dinâmico!

    Quando olhamos para Bíblia, não tem como deixarmos de lado versículos como:

    "Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.
    Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons." Mat 7.17-18

    Ou ainda:

    "Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
    E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem." Mat 7.13-14

    Decidi incentivar meus amigos a "porfiarem" (Luc 13.24) e a se "examinarem" (2Co 13.5), do que deixá-los descansando no engano (Heb 3.13) mesmo que isso ainda cause algum desconforto momentâneo(Prv 27:6) depois trará a verdadeira liberdade (Jo 8.32)

    Fique na paz Fê!


  5. Claro que vale! Esse é o objetivo!

    Mas repito o que disse! haahah

    Não acho que os versículos que você citou se contrapõem ao que eu disse. A Bíblia é um todo, e a assim como ela possui os versículos que vc citou, também possui outros, como esse de Romanos. Por isso, acho que o que a gente diz se complementa, e não se exclui.

    ROMANOS
    14 Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.
    15 Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.
    16 E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
    17 De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.
    18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.
    19 Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.
    20 Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.
    21 Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo.
    22 Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;
    23 Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.
    24 Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?
    25 Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.

    Bjs.


  6. Ari Says:

    parabéns!
    de fato, a insensibilidade entre muitos q se chamam de cristãos, põe em cheque toda a mensagem que pregamos.
    avivamento é encarnar o queanuncia.
    que o ES no-lo conceda.
    paz
    ariovaldo ramos


  7. Tatty Gentil Says:

    Quando pecamos e não nos incomodamos, é porque estamos vazios do Espírito Santo.

    Sempre pecaremos. A diferença é que um pecador cheio do Espírito Santo se incomoda do pecado, e é guiado através dEle para o arrependimento! Esse sim é um dos poucos cristãos que você falou! =)

    Infelizmente, muitos "cristãos" estão vazios do Espírito Santo, e o incômodo e o arrependimento não convém a eles...

    Erremos, mas aprendamos!

    Glória a Deus!

    Deus te abençoe, Fernadinho!

    =)


  8. Cosmovisao Says:

    Pena que a justificativa de Gandhi para não se tornar cristão não o levou para o caminho que é Cristo.
    Ele optou pelos deuses pagãos do induismo.

    “As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes, desde que alcancemos o mesmo objetivo?” Gandhi

    “Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensamentos tornam-se suas palavras. Mantenha suas palavras positivas, porque suas palavras tornam-se suas atitudes. Mantenha suas atitudes positivas, porque suas atitudes tornam-se seus hábitos. Mantenha seus hábitos positivos, porque seus hábitos tornam-se seus valores. Mantenha seus valores positivos, porque seus valores… Tornam-se seu destino.” Gandhi

    Ele não creu em Jesus como Senhor da sua vida e nem como seu Salvador, ele admirou a humanidade de Jesus, mas nunca se submeteu.

    Com isso penso que suas atitudes não servem como exemplo, nem como argumento para o encorajamento dos crentes.

    Fiquemos com Jesus mesmo.


  9. Cosmovisao Says:

    Quanto aos cristãos que pecam mais e os que pecam menos,concordo, porém podemos acrescentar os FALSOS IRMÃOS, pois eles estão presente no meio da igreja desde a igreja primitiva, vejam o que Paulo diz sobre eles:

    2 Coríntios
    11:26
    Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos;

    Gálatas
    2:4
    E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão;

    Interessante que para chamá-los assim, Paulo precisava "ver" que eram assim, precisava ter certeza de que eram falsos irmãos.

    2 coisas aí:

    1.É possível saber quem são os falsos irmãos.

    2. É preciso alertar a igreja sobre eles, e ensinar a igreja a detectá-los.

    Glória a Deus pela Sua Palavra que não omite essas corrupções no meio do corpo de Cristo.


  10. Priscila Says:

    Amei o texto, sabias palavras... Eu mtas vezes também gosto mais das minhas cachorras do que de alguns seres humanos que encontramos por ai... Deus te abençoe! Beijinhos, Pri =)


  11. Pastoragente Says:

    Graça e paz!
    “Andando” por aí cheguei até o seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
    Já estou te seguindo e será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com.
    Se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
    No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
    Fique na paz. Um abraço.


  • Ocorreu um erro neste gadget

    :: NEWSLETTER ::

    Cadastre seu email e fique atualizado sobre novas postagens:

    É grátis!

    :: SEGUIDORES ::

    :: ÚLTIMAS ::

    FAÇA SUA PARTE!

    diHITT